GSW implanta Microsoft Dynamics AX na Lojas Colombo

Lojas Colombo começa 2014 adotando novo ERP. Empresa optou pelo Dynamics AX, sistema de gestão da Microsoft.

colombo-gswA Lojas Colombo iniciou o mês de janeiro com uma nova plataforma de gestão apoiando toda a operação de backoffice da matriz, localizada em Farroupilha. A ferramenta mais moderna tem a missão de gerenciar áreas como a de estoque, pedidos, base de clientes e financeiro e contábil.

Depois de avaliar algumas ofertas do mercado, a opção foi pelo Dynamics AX, da Microsoft. A consultoria escolhida para a execução do projeto foi a GSW Soluções Integradas, com matriz em São José dos Campos (SP) e filiais espalhadas pelas regiões Sul e Sudeste. 

O diretor administrativo e financeiro da Lojas Colombo, Gilberto Galafassi, diz que a decisão da migração foi tomada em 2010. Segundo ele, já era tempo, afinal, o primeiro havia sido implantando em 1997. “Precisávamos modernizar o nosso sistema de informações. O ERP integra dados estratégicos da companhia, desde o pedido de determinada mercadoria até a entrega”, comenta.

Como a substituição do sistema de gestão costuma ser algo complexo e até traumático em muitas organizações, já que mexe em boa parte da operação, o projeto foi muito planejado. A empresa também elegeu usuários chave e está capacitando os colaboradores para as novidades. A expectativa é de que o AX suporte ainda mais o crescimento da empresa, oferecendo maior competitividade e redução de custos, além de dar mais agilidade aos processos administrativos.

A opção pelo Dynamics AX foi pela flexibilidade da solução. Além disso, Galafassi comenta que, apesar de ser um ERP relativamente novo no mercado brasileiro, vem com uma experiência bastante significativa e de sucesso em muitos países.

O novo ERP já está sendo usado na Colombo. A segunda etapa do projeto, planejada para acontecer ao longo desse ano, ocorrerá nos Centros de Distribuição, onde também será implantado o WMS – Sistema de Gerenciamento de Armazéns da Microsoft.

E finalmente será realizada a etapa três, que é a migração para o novo sistema na frente de loja, no ponto de venda. “Teremos um grande ganho na forma de atender aos clientes, pois teremos um sistema mais moderno, amigável e flexível”, projeta. A Colombo ainda não definiu um prazo para isso acontecer.

 

Fonte: Jornal do Comércio RS - Por Patricia Knebel

 

 

 

PMEs que mais crescem no Brasil - 2013

Pela 3º vez a GSW está no ranking das PMEs que mais crescem no País, ocupando o 106º lugar entre as 250 pequenas e médias empresas de maior desempenho.

O estudo anual realizado pela Deloitte em parceria com a revista Exame PME desde 2006, aponta as empresas emergentes que mais expandem seus negócios no País, além de identificar como elas estão lidando com as dificuldades do ambiente de negócios nacional.

As empresas de melhor desempenho são aquelas que apresentaram os maiores índices de expansão nos últimos três anos, e essas são incluídas em um ranking publicado na revista Exame PME.

Entenda a metodologia da pesquisa:

A atual edição do ranking da pesquisa “As PMEs que Mais Crescem no Brasil” teve seu período de campo entre os dias 18 de fevereiro e 31 de maio de 2013 por meio de um questionário disponível no website da Deloitte (www.deloitte.com.br). O convite para participar do estudo foi enviado por e-mail para aproximadamente 16 mil empresas.

Esse universo de convidados foi complementado por outras organizações que manifestaram o interesse em participar, após saberem da existência da pesquisa por meio da divulgação em websites, como o da revista Exame PME, de anúncios publicitários, de mídias sociais e de notas editoriais veiculadas na imprensa em geral e pelas próprias empresas realizadoras.

Critérios

Para que a empresa tivesse condições de configurar no ranking da pesquisa, ela deveria, obrigatoriamente, atender a todos os critérios abaixo, e apresentar as maiores taxas de crescimento médio anual referente aos últimos três anos:

••Possuir receita líquida entre R$ 3 milhões e R$ 300 milhões em 2012 (último ano do triênio avaliado);

••Não fazer parte de um conglomerado empresarial com mais de 50% do seu capital controlado por estrangeiros;

••Não estar vinculada (coligada ou controlada) a grupo empresarial com receita líquida igual ou superior a R$ 2 bilhões por ano, independentemente da origem de seu capital;

••Estar em fase operacional, no Brasil, há mais de cinco anos.

Para a composição do ranking desta pesquisa, foram consideradas as regras contábeis reconhecidas nas práticas de mercado adotadas no Brasil, que se sobrepuseram a qualquer norma associada à especificidade de setores econômicos ou de perfis de atividade empresarial. Por possuírem características diferenciadas de geração e avaliação de receita, o que impediria a comparação com outras empresas, não puderam participar do estudo: cooperativas, instituições financeiras e organizações sem fins lucrativos e governamentais.

Também tiveram sua participação vetada as empresas cuja principal atividade está atrelada aos segmentos de auditoria, consultoria e editoras (setores de atuação das organizadoras do estudo).

O regulamento da pesquisa ficou disponível a todas as empresas interessadas por meio do website da Deloitte (www.deloitte.com.br), durante todo o período de campo.

 

PME-2013v4_03

 

Nosso crescimento é fruto da dedicação de grandes colaboradores e parceria com grandes empresas.

Obrigado, por escreverem juntos com a gente uma história que só cresce!

Vale do Paraíba novamente tem empresa entre as melhores de TI para se trabalhar no Brasil

Pelo terceiro ano consecutivo, a GSW é apontada entre as melhores empresas de Tecnologia da Informação do País para se trabalhar. O anúncio foi feito na noite de ontem (29), em São Paulo, durante evento organizado pela consultoria “Great Place to Work” e a Revista Computerworld.

Na categoria TI e Telecom (Médias Empresas), a companhia, que atua há 22 anos em São José dos Campos, com filiais em São Paulo (SP), Ribeirão Preto (SP), Belo Horizonte (MG) e regiões metropolitanas de Porto Alegre (RS) e Curitiba (PR), foi avaliada juntamente com outras 201 concorrentes.

O resultado obtido no GPTW 2013 consolida a empresa como a melhor para se trabalhar no Vale do Paraíba, o que naturalmente reflete no bom atendimento prestado aos seus clientes e reforça a importância dos programas de incentivo e capacitação oferecidos aos funcionários.

O primeiro lugar na classificação geral, envolvendo 1095 organizações de portes variados espalhadas pelo Brasil, foi obtido pelo Google pelo quarto ano seguido, e nomes como Microsoft, Dell, Cisco, Oracle e Telefônica Vivo também foram contemplados.

 

GPTW

Basilio e Joyce Tosetto (à dir), recebendo o título

 

Critérios

Elaborado anualmente, o ranking premia as empresas que mais se destacam em criar uma excelente atmosfera de trabalho, algo detectado por uma rigorosa metodologia de pesquisa extensiva aos funcionários das candidatas.

“Este reconhecimento é fruto de um local em que existe liberdade para o diálogo. Além disso, nos diferenciamos pelo clima descontraído, onde as pessoas se sentem respeitadas. Estamos sempre promovendo ações relacionadas à saúde, além de incentivar a prática de esportes e comemorar as conquistas nos divertindo juntos. Somos uma empresa efetivamente comprometida com o bem-estar dos nossos colaboradores”, define o sócio-diretor Basilio Tosetto Neto.

A pesquisa constatou ainda que a companhia está entre as 10 cujos funcionários mais valorizam o aspecto qualidade de vida, uma necessidade que a GSW afirma reconhecer e adotar como diretriz em suas políticas de RH.

“Um aliado nesse quesito é a nossa possibilidade de oferecer oportunidades de trabalho tão desafiantes quanto em São Paulo, com a vantagem da qualidade de vida proporcionada por se morar no interior, especialmente aqui no Vale do Paraíba, sem o caos e a poluição das grandes metrópoles”, argumenta Tosetto Neto.

“Acreditamos que o ambiente descontraído permite às pessoas criar fortes laços, estendendo a relação profissional para o campo da amizade. Soma-se a isto o fato de a nossa área de gestão de pessoas estar sempre ouvindo e implementando idéias que ajudam a tornar este local cada vez mais agradável para se trabalhar e viver”, conclui o empresário, ao analisar alguns dos fatores que considera determinantes para mais esta conquista.

 

Fonte: Jornal Joseense News

Siscoserv: a informação que pode custar caro

Criado para controlar a importação e a exportação de serviços, o Siscoserv exige que os 22 mil exportadores brasileiros passem à Receita Federal informações detalhadas sobre as despesas no exterior, mas o empresário que deixar de enviá-las – ou lançar dados errados no sistema – terá que pagar multa de 0,2% sobre o faturamento da empresa do mês anterior ao da prestação da informação.

A ferramenta começou a funcionar em outubro de 2012. Além da multa, há o grau de complexidade e detalhamento do Sistema integrado do comércio exterior de serviços e outras operações que produzam variações no patrimônio. Um funcionário em viagem ao exterior deve informar, por exemplo, os gastos com alimentação. Seja café da manhã, almoço ou jantar. Se a refeição foi à la carte, self-service, fast-food, entrega de refeição pronta, lanche dentro do avião ou serviço de buffet, com ou sem serviço de garçom.

Para o transporte, há 56 opções diferentes. Se por metrô, trem, ônibus, van, carro alugado, táxi, barco entre outros como bicicleta, com ou sem motorista. São mais de dez opções de hospedagem e até os serviços de lavanderia são detalhados. Numa viagem de dez dias ao exterior, o funcionário voltará com pelo menos 60 recibos e terá que preencher 60 formulários. As empresas também estão obrigadas a informar as despesas de funcionários estrangeiros no Brasil.

Apesar de englobar pessoas físicas e jurídicas ao registro, estarão dispensadas as pessoas jurídicas optantes pelo Simples Nacional, os Microeemprendedores Individuais (MEI) e as pessoas físicas que residentes no Brasil que não explorem, habitual e profissionalmente, qualquer atividade econômica de natureza civil ou comercial, com o fim especulativo de lucro e que não realizem operações em valor superior a US$ 20.000,00 (vinte mil dólares) mensais.

Fonte: Notícias Fiscais

 

Para atender as obrigações exigidas pelo SISCOSERV, a GSW possui no portfólio o SISCOSERV sys – solução que surge para apoiar a sua empresa a atender essas novas exigências, proporcionando total controle e rastreabilidade das informações, além de redução de tempo e diminuição de erros e inconformidades nos registros. Conheça nossa solução, clique AQUI.

Olá, Tudo Bem?
Se precisar estamos a disposição.

Receba nossa newsletter

Fique tranquilo não enviamos e-mails em excesso.

Nome
E-mail
Assunto
Selecione

  • Desenvolvimento de Sistemas
  • SAP Solution Center
  • Gestão Tributária
  • Comércio Exterior
  • BPO Tributário
  • CRM & Mobile