Inovação: a atitude que faz a diferença!

Como achar gente inovadora para minha organização? E como, ser e mesmo, mais inovador?
Essas são perguntas que atormentam os executivos. Para buscar essas respostas, pesquisadores  passaram seis anos descobrindo a origem de estratégias de negócios criativas e estudando exemplos... Como achar gente inovadora para minha organização? E como, ser e mesmo, mais inovador?

Essas são perguntas que atormentam os executivos. Para buscar essas respostas, pesquisadores  passaram seis anos descobrindo a origem de estratégias de negócios criativas e estudando exemplos de executivos empreendedores e visionários como Steve Jobs (Apple), Jeff Bezos (Amazon) e Pierre Omidyar (eBay).

O resultado foi publicado na revista Harvard Business Review, no artigo O DNA do inovador*, que identificou as cinco habilidades que distinguem o verdadeiro inovador do restante dos mortais:
Network: Desenvolva redes de relacionamento, procure não somente extrair conhecimento e informação da sua rede, mas procure colaborar com novidades e experiências, pois a reciprocidade é a ferramenta que mais colaborará para o desenvolvimento de bons relacionamentos.
Questionamento: Peter Drucker falou do poder de uma pergunta provocativa. “O importante, e difícil, nunca é achar a resposta certa, mas sim fazer a pergunta certa.” O inovador deve fazer perguntas que desafiam velhas verdades. Inovadores não suportam o status quo. Portanto, seguem algumas dicas: questione as premissas e pergunte sempre “por quê?”,, “por que não” e “e se...?”. Com essa prática, Michael Dell, criador da Dell Computer questionou porque um computador custava cinco vezes mais do que a soma das partes “Eu desmontava um computador(...) e via que US$ 600 em componentes eram vendidos por US$ 3 mil.”, com isso adotou um modelo de negócios revolucionário.
Associação: trata-se do poder em conectar perguntas, problemas ou ideias de campos distintos e aparentemente sem nenhuma relação entre si. A interação das informações faz brotar ideias ao cruzar disciplinas. Volta e meia diz Steve Jobs: “Criatividade é ligar as coisas”.
Observação: Um inovador fica atento (de forma cuidadosa, intencional e consistente) a pequenos detalhes comportamentais – nas atividades de clientes, fornecedores e outras empresas – para obter insights sobre novas maneiras de fazer certas coisas. Ratam Tata, teve a inspiração que levou ao carro mais barato do mundo ao observar o aperto de uma família de quatro pessoas trepada numa motoneta, depois de anos o Grupo Tata lançou o Nano a um preço de US$ 2.500,00.
Experimentação: a palavra remete a cientistas de jaleco branco ou inventores como Thomas Edison, que dizia “Não é que tenha errado. Simplesmente achei 10 mil saídas que não funcionaram.” Para o inovador o mundo é seu laboratório. Ao invés de observar, o inovador experimentador, examina intensamente o mundo e tenta provocar respostas incomuns para os insights surgirem disso. Um exemplo é o leitor eletrônico Kindle que foi um experimento que agora transforma a Amazon de varejista na internet à fabricante inovadora de aparelhos eletrônicos.
Por fim, tente passar 15 a 30 minutos por dia colocando no papel dez questões novas que desafiem o status quo na empresa, recomenda o autor do artigo.
*Jeffrey H. Dyer, Hal B. Gregersen e Clayton M. Christensen, O DNA do inovador, Dezembro 2009 – Harvard Business Review, volume 87
Olá, Tudo Bem?
Se precisar estamos a disposição.

Receba nossa newsletter

Fique tranquilo não enviamos e-mails em excesso.

Nome
E-mail
Assunto
Selecione

  • Desenvolvimento de Sistemas
  • SAP Solution Center
  • Gestão Tributária
  • Comércio Exterior
  • BPO Tributário
  • CRM & Mobile